A triste descoberta

Pegar o envelope do laboratório com o resultado foi uma das experiências mais angustiantes que tive em toda a minha vida. Fiz o exame para fazer um check up geral, até então era o meu primeiro check up! Eu nunca havia feito exame para HIV e até fiquei surpreso quando o meu médico falou que ia solicitar esse exame. Lembro que na época eu ri e falei que era impossível. Eu conhecia os perigos do HIV mas eu achava na época, que isso só acontecia com os outros, que nunca iria acontecer comigo. Mas resolvi fazer o exame só para mostrar para o médico que comigo isso não acontece.

No laboratório, a atendente me explicou que para esse exame, caso o resultado fosse negativo de primeira, eu não precisaria retornar para fazer um novo exame, caso o resultado fosse positivo, poderia ser um falso positivo e aí sim eu deveria retornar para fazer um novo exame.  Falei para ela que eu tinha certeza que eu não ia precisar retornar, ela me lançou um olhar de “veremos então” heheeh.
Fiz o exame e solicitei entrega pela internet, pois até então eu não precisaria retornar àquele lugar.

5 dias depois (sim naquela época o exame demorava mais) o resultado do meu exame estava na internet conforme eu havia solicitado. Lembro que fiquei um pouco nervoso mas eu sabia que ia dar tudo bem nos resultados!

Então, ao acessar o meu exame me deparo com a seguinte frase: AMOSTRA POSITIVA PARA HIV-1 lembro que achei que aquilo era um engano só podia ser!! Imediatamente liguei para o laboratório e marquei um novo exame! Fiz o novo exame mas dessa vez já fiquei na duvida e nessa dúvida eu fiquei por um ano inteiro.

Demorei exatamente um ano para buscar o segundo resultado, pois eu tinha certeza que se desse positivo, no momento que isso se comprovasse eu iria pirar a cabeça e aí sim eu ia entrar em depressão e ficar doente. Não contei para absolutamente ninguém sobre esses exames. Resolvi que eu preferia ficar na dúvida à saber a verdade!! E assim eu passei o pior ano da minha vida pois, aquela dúvida volta e meia assombrava meus pensamentos. Fui levando a vida até que num momento de explosão e desabafo, acabei contando para a minha melhor amiga sobre os exames e o resultado que eu nunca mais fui buscar. Ela ficou chocada, mas ao contrário do que eu imaginava, ela ficou chocada não com o primeiro resultado e sim com o fato de eu nunca ter ido buscar o segundo resultado, e com o fato de eu não ter contado para ela antes.

Finalmente fui ler o segundo resultado, e como eu já esperava, meu exame novamente deu positivo. Lembro na época, que por mais que eu já esperasse por esse resultado, fiquei estarrecido, sem chão! Novamente optei por pegar o resultado pela internet, pois como eu já esperava esse resultado, naquela época eu me sentia muito inferior à outras pessoas porque eu tenho HIV. Graças a Deus e a minha terapeuta, isso mudou!! 🙂

Fui ler o resultado e lá estava novamente aquela frase que me atormentava e que ficou gravada na minha memória por 1 ano desde o primeiro resultado: AMOSTRA POSITIVA PARA HIV-1. Me afastei do computador, e por horas fiquei deitado de barriga pra cima em silêncio no meu quarto. Uma mistura de sentimentos e pensamentos se passavam na minha cabeça naquele momento. Sentimento de medo, culpa, inferioridade e dúvidas, eu tinha muitas dúvidas! Como meus pais iriam reagir? Será que vou morrer na semana que vem? Eu tenho AIDS e agora?? A quem eu deveria recorrer?? Eu não sabia absolutamente nada à respeito da doença! Só sabia que ela não tem cura e que o preconceito é muito grande. Esse era todo o meu conhecimento da doença quando eu descobri. Não conseguia acreditar que isso acontecera comigo, eu sempre ouvia histórias de soropositivos, fofocas até, de que o fulano tem AIDS, mas eu tinha a pretensão estúpida de que isso só acontece com os outros, que isso nunca iria acontecer comigo! Ledo engano! Sim isso estava acontecendo comigo e era muito real e eu precisava fazer alguma coisa a respeito, não sabia exatamente o quê, mas, precisava fazer algo!! Lembrei de uma conversa que tive com uma amiga, a única que sabia do meu primeiro resultado. Onde ela me dizia que fugir de um problema não vai fazer ele desaparecer e sim aumentar!! Com isso em mente, tomei algumas decisões!

1) Que eu ia enfrentar isso tudo sozinho! Que não ia contar nada pra ninguém, nem mesmo para aquela minha amiga. Afinal eu não tinha o direito de arrastar os meus amigos para os meu problemas. E eu tinha muita vergonha de ter pegado esse vírus e meus amigos não entenderiam.

2) Que eu precisava buscar ajuda de um médico! Mas eu nem sabia que medico deveria procurar…

No dia seguinte, liguei para o 0800 do Disque AIDS. A vergonha era tanta (mesmo por telefone), que falei que um amigo meu tinha se descoberto soropositivo e que ele não sabia que médico procurar. A pessoa do outro lado foi muito gentil e me respondeu prontamente que “meu amigo” deveria procurar um infectologista. E ainda me disse, acho que ela sabia que era eu, que era pra esse “meu amigo” ficar calmo, que o Brasil é referência no tratamento de soropositivos e que se “ele” não pudesse pagar por um infectologista particular, que o SUS tem vários profissionais competentes prontos para ajudar nessa nova etapa. Agradeci a moça do outro lado da linha e aquela atitude dela, de me dizer aquelas coisas, fizeram pela primeira vez me sentir amparado, sentir que de alguma forma não vou passar por isso sozinho!!

No momento que desliguei o telefone, peguei o livrinho da UNIMED, que era o plano de saúde que eu tinha pela empresa, e lá pesquisei por infectologistas, não haviam muitos no livrinho, resolvi ligar para o primeiro da lista e marquei um horário.

Dei muita sorte!! Pois além de o médico, Dr. André Peretti Torelly, ser realmente muito bom, a secretária (que na época que eu consultava era a Angélica Fontanari) fez eu me sentir “em casa”, fui muito bem tratado por ela!! Fui tão bem recebido por ela, que por um momento eu cheguei a esquecer eu estava ali para enfrentar o HIV. Fiquei 1 hora e meia no consultório dele. E lá, além de me pedir vários exames de sangue, ele sanou todas aquelas minhas dúvidas e medos que eu tive quando peguei o resultado. Desmitificou completamente o assunto! Falou que isso não era mais uma sentença de morte, que eu NÃO ia morrer na semana que vem! Que eu poderia ter uma vida longa e “normal”, regrada é verdade! Mas uma vida normal, falou que minha vida havia mudado completamente agora que eu havia decidido me tratar e enfrentar o problema.  Confesso que saí do consultório dele mais leve, parece que ele havia tirado um peso enorme das minhas costas! EU NÃO VOU MORRER NA SEMANA QUE VEM!! Essa frase ficou impregnada na minha mente e me deu forças para continuar a batalha, por mais difícil e solitária que ela fosse.

Autor do Post Jeff

Eu sou o Jeff! Muito prazer! Sou soropositivo há 15 anos. Levou bastante tempo até eu aceitar essa minha nova condição e realidade, e depois de alguns percalços da vida eu levo uma vida boa e feliz! Criei esse blog para tentar te mostrar, que a vida é muito maior do que um mísero vírus e que não podemos fazer nossa vida girar em torno disso.

14 Comentários em “A triste descoberta

    Caio Victor ( 28/06/2017 - 5:55 AM )

    Oi Jeff . Estou com os olhos lacrimejando com sua história, ou talvez com a minha. Descobri ontem que sou portador do vírus da HIV e tudo ainda está muito confuso na minha cabeça. Graças a Deus, também encontrei ótimos profissionais na clínica que fiz meu exame e pude ver de imediato que há vida após o positivo. Decidi enfrentar essa batalha sozinho, sem contar para ngm… mas sei que vou ser forte, como vc está sendo. Obrigado pela dose extra de ânimo e força.

      Jeff ( 28/06/2017 - 10:11 PM )

      Oi Caio,

      Primeiramente lamento muito pela sua triste descoberta, tentei te enviar um e-mail para conversarmos melhor, mas o mesmo me retornou com erro, se quiser conversar mais me escreva no endereço contato@vivercomhiv.com.br

      Mas procure ficar calmo, ter HIV não significa o fim de nada. Com o tempo tu vai percebendo que o “monstro” não é tão grande como pintamos!

      Um abraço

    Garoto bom ( 26/04/2016 - 10:22 AM )

    achei o site por acaso, na verdade nem sei bem oq dizer e ao mesmo tempo tenho tanta coisa pra dizer… senti um frio na barriga lendo seu depoimento e a sua primeira reação não foi muito diferente da minha na descoberta a exatos 4 anos no alge dos meus 25anos. Graças a Deus tenho um namorado na area da saúde q por milagre nao foi infectado por mim pois namoravamos ja a 1 anos qndo descobri tb num exame de rotina, ele nao me abandonou e esteve e esta ao me lado desde então, mas isso nao mudou muito o meu desespero dessa infeliz descoberta afinal sempre achei e acho q nem ele nem ninguem é obrigado a conviver com essa minha realidade e depois de meses até cair a ficha e aceitar esse problema a exatos 4 meses apois os 4 anos de descoberta iniciei o tratamento q nos primeiros dias é horrivel aquela tontura, mas hj por Deus quase nao sinto nada qndo tomo. Enfim amei o blog e voltarei mais vezes por aq.

      Viver com HIV ( 26/04/2016 - 1:32 PM )

      Que bom que gostou do nosso blog! Te convido a vir mais vezes! e já pensou na possibilidade de escrever um depoimento contando tua história? A gente ia adorar conhecer ela! Tu pode mandar ela para depoimentos@vivercomhiv.com.br

      Um abraço

    Angelica Fontanari ( 15/04/2016 - 9:01 PM )

    Meu Deus Jeff, encontrei esse post por acaso e confesso que fiquei emocionada e imensamente grata pela lembrança. Dias difíceis onde juntos acreditávamos num futuro bom e cheio de vida, viu como tudo se confirmou lindamente!!! Cá estamos nós firme e fortes eu acreditando no potencial de superação que todos temos é você fazendo da sua história um exemplo para todos aqueles que precisam também acreditar que A VIDA CONTINUA SIM NA SEMANA QUE VEM!!!
    Grande beijo e obrigada por me fazer sentir tão especial ♥

      Viver com HIV ( 15/04/2016 - 9:31 PM )

      Oi Angélica!

      Na verdade eu é que tenho que te agradecer, por me fazer sentir acolhido em um dos piores e mais difíceis momento de minha vida. O teu acolhimento e tua simpatia foram fundamentais para que não entrasse em colapso naquela época, muito obrigado de coração! Saiba que tenho um carinho enorme por ti.

      Um beijo

      Jeff

    Jhoan ( 07/11/2015 - 7:08 AM )

    Que historia, imagino como vc deva ter enfrentado este ano, sozinho com esta duvida. Desejo muita sorte e o que o médico falou é a mais limpa verdade. O que acontece é que temos muitas pessoas sem informação, existe patologias muito piores que o vírus do HIV por ai. Sou da área da saúde e gostaria muito se possível de manter um contato com vc. abraços e aguardo contato

      vivercomHIV ( 07/11/2015 - 12:21 PM )

      Olá Jhoan!

      Muito obrigado pelo seu contato e pelas palavras, Foi difícil mesmo, mas consegui superar. Quanto à manter contato, podemos manter contato sim, tomei a liberdade de te enviar um e-mail com meu contato.

      Um abraço

    Lu... ( 31/10/2015 - 7:21 PM )

    A 5 meses atrás descobri q sou soropositiva, confesso q é difícil aceitar, mas tive uma força muito grande de minha família, uso o medicamento 3 em 1 com toda disciplina, mas o preconceito é muito grande.

      vivercomHIV ( 31/10/2015 - 7:33 PM )

      É, infelizmente o preconceito e a falta de informação ainda é muito grande! Mas já foi bem pior, agora ao menos o pessoal tá começando a tratar do assunto. Mas há um logo caminho a ser percorrido ainda! Fico feliz que tu teve o apoio da tua família! O apoio da família é muito importante!!

    Diana ( 04/10/2015 - 8:39 AM )

    Felizmente, tudo o que o médico disse é verdade 🙂 mais uma vez, boa sorte!

    M.Raydo ( 31/07/2015 - 6:16 PM )

    Pô! Senti sua dor aqui! Confesso que fiquei com os olhos marejados! Ok! Senti esta sua dor inicial aí! Porém, também captei o brilho da esperança e a maravilhosa vontade de viver!!! É isso, curti sua força e suas palavras!!! Arrebenta aí! Estarei acompanhando daqui, com certeza! 🙂

      viver com HIV ( 31/07/2015 - 6:43 PM )

      Marcelo,
      Muito obrigado pelas palavras! Obrigado por acompanhar o meu blog, são retornos como o seu que me dão mais forças para continuar.

      Abração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *