Como todos souberam

Quando tive alta do hospital por conta daquele episódio infeliz que tive, voltei pra casa em uma cadeira de rodas eu ainda não conseguia me levantar nem segurar com a mão direita. Voltei cheio de nóias e meu humor praticamente não existia, acho que no fundo eu me culpava por estar daquele jeito. Odiava estar naquela situação e de depender dos outros até para ir ao banheiro. Tudo me incomodava, desde muita gritaria (algazarra de crianças) até um cheiro ou perfume mais forte. Eu só conseguia dormir com a ajuda de remédios para a ansiedade, e não tinha absolutamente nenhuma paciência para receber visitas. Eu não suportava a ideia de ter que explicar o que tinha acontecido comigo toda a vez que uma nova visita aparecia. E hoje eu sei que tinha vergonha por estar daquele jeito, afinal foi eu quem procurou aquilo pra mim, se eu estava daquele jeito era por culpa minha. Logo que cheguei em casa, seguindo a orientação do meu médico, eu tratei de chamar um amigo meu, que é fisioterapeuta, para que eu pudesse me tratar com ele. Meu amigo veio até a minha casa e sozinho com ele desabei e chorando eu dizia para ele que se fosse pra viver assim, dependendo de todos pra tudo, eu não queria mais viver. Ele me acalmou e me disse que não era pra eu desistir, que iriamos lutar juntos. Disse que os movimentos poderiam ser recuperados, mas que isso é um processo demorado e que não dependia só dele, o fisioterapeuta, que ia depender muito de mim e da minha vontade de mudar aquela situação. Depois daquela conversa, confesso que fiquei um pouco mais calmo. Combinamos fazer sessões de fisioterapia 3 vezes por semana. Ele me instruiu para que eu comprasse um andador, a ideia era se livrar da cadeira de rodas.

Na medida em que os dias iam se passando eu ia melhorando, na segunda semana fazendo fisioterapia, já conseguia me levantar e ficar de pé sem cair. Coisa que eu não conseguia fazer antes. Sempre tentando descobrir o por que de tudo aquilo estar acontecendo comigo. Será que eu já não havia sofrido o bastante? Porquê eu?? Comecei a lembrar de todas a coisas erradas que eu já havia feito (e não foram poucas). Aí cheguei a conclusão de que eu estava me sentindo um coitadinho e sentindo pena de mim mesmo!

Eu ODEIO que sintam pena de mim!

Meu médico me disse, uma vez que ele veio ao meu quarto, que era um milagre que eu estivesse vivo pois quando eu cheguei ao hospital meu CD4 era de 26. Se eu tivesse tido uma gripe mais forte eu teria morrido. Lembrei dessas palavras quando eu tava tentando descobrir o porque daquilo estava acontecendo comigo. A partir desse momento eu deixei de sentir pena de mim mesmo e tomado por um sentimento de querer sair daquela situação e uma vontade de mudar encarei isso como uma chance que eu havia recebido por uma força maior para mudar e fazer certo dessa vez.  Entendi disso tudo que: Ou eu me aceitava de vez e começava a seguir o caminho correto ou continuava no caminho errado e seguia para o meu fim.

As pessoas só mudam de fato quando estão à beira do precipício.

Depois que eu entendi e aceitei isso minha vida mudou radicalmente! Resolvi que eu não ia mais me esconder ou ter vergonha da minha condição, a constante busca que eu tinha de aprovação dos outros, desaparecera completamente. Entendi que não tenho que provar nada pra ninguém, de não devo nada pra ninguém. Se quiser ser meu amigo ou se relacionar comigo, vai ter que me aceitar do jeito que sou e como sou. E é nessa linha de pensamento que sigo até hoje. Hoje não faço questão nenhuma de esconder minha sorologia e as coisas que fiz. Claro que não saio divulgando minha condição e orientação sexual no facebook, como disse antes, eu odeio que sintam pena de mim, mas não escondo mais nada. Não to aqui julgando aqueles que não contam sua condição (quem sou eu para julgar alguém), cada um sabe o momento de contar ou não e se vai contar, mas pra mim, isso já é bem resolvido na minha vida.

A vida é muito curta para se viver pela metade!

Antes de eu ser internado no hospital, poucos dos meus amigos sabiam da minha condição de soropositivo, eu tomava meus remédios escondido (quando tomava). Quando os meus amigos souberam que eu estava no hospital, foram me visitar como era o esperado, mas eu estava num andar do hospital que é somente para pacientes com HIV, então não levou muito tempo para eles terem ligado as coisas. Alguns amigos, mais envergonhados, fingiram que não “se ligaram nisso” e não me perguntaram absolutamente nada à respeito. Outros, vieram e me perguntaram diretamente se eu tenho HIV, visto que fiquei internado em uma ala  somente para soropositivos. Eu poderia muito bem ter dito que não! Que estava internado lá somente por que não havia mais quartos disponíveis em outras alas. Mas eu estava cansando de esconder isso. Não queria mais esconder quem eu sou e como sou.  E resolvi que meus amigos não mereciam que eu ocultasse esse fato pra eles.

Quando já estava em casa, fiz questão de conversar com cada um dos meus amigos e expôr minha condição de soropositivo pra todos eles. Alguns reagiram numa boa, outros, ficaram magoados comigo por não ter contado isso antes, alguns até me xingaram. Mas absolutamente nenhum AMIGO me virou as costas ou me abandonou por causa da minha condição. Alguns amigos ficaram até mais próximos. Sim! Houveram pessoas que me abandonaram e me viraram as costas. Mas hoje eu sei, se essas pessoas que fizeram isso, realmente não deveriam estar na minha vida. Não guardo mágoa de ninguém, apenas sei que nem todo mundo é igual e pensa da mesma forma.

Quando você aprende a se respeitar e aceitar quem você é, aprende também à respeitar e aceitar as pessoas do jeito que elas são.

Bom, contei tudo isso, pra você saber que minha vida ficou muito melhor depois que eu aprendi a me aceitar e compartilhar isso com as pessoas. Fez eu me sentir uma pessoa mais leve e melhor. Talvez ao contar, você se surpreenda (de uma forma muito positiva) com a reação das pessoas.

Uma boa semana para todos!!

Autor do Post Jeff

Eu sou o Jeff! Muito prazer! Sou soropositivo há 15 anos. Levou bastante tempo até eu aceitar essa minha nova condição e realidade, e depois de alguns percalços da vida eu levo uma vida boa e feliz! Criei esse blog para tentar te mostrar, que a vida é muito maior do que um mísero vírus e que não podemos fazer nossa vida girar em torno disso.

9 Comentários em “Como todos souberam

    Linda ( 14/02/2016 - 9:01 PM )

    Jeff,

    Sua história, sua superação e seu dom com as palavras, dariam um excelente livro!

    Obrigada por compartilhar conosco.

    Vc emana luz!

    Bjus amigo!

      Viver com HIV ( 15/02/2016 - 12:45 AM )

      Obrigado!! Já me falaram que eu deveria escrever um livro!! 🙂 mas não tenho disciplina o a isso!! Hehehe

    Diana ( 04/10/2015 - 8:33 AM )

    Coragem da sua parte contar tudo isto! Boa sorte!

      vivercomHIV ( 04/10/2015 - 1:13 PM )

      Obrigado Diana!

      Confesso que no começo fiquei meio receoso em contar, mas hoje vejo que foi uma coisa ótima! 😀

    vivercomHIV ( 03/10/2015 - 2:06 AM )

    Pois é, somente tu é que vai saber a hora de contar e se deve contar, esse tipo de coisa não deve ser pressionada e impensada. Que bom que tu gostou do blog. Fica muito a vontade pra me escrever e sugerir assuntos para o blog!! 🙂

    vivercomHIV ( 03/10/2015 - 1:45 AM )

    Olá Maicon,

    A decisão de contar, não é fácil!! Mas senti a necessidade de contar. Pra mim fez muito bem, mas tenho vários amigos que tem hiv há anos e nunca contaram para seus familiares. Não sentiram necessidade em contar, isso cabe a cada pessoa decidir se conta ou não!! Se tu está bem assim. Tb mm não vejo a necessidade de contar.

    vileite ( 28/09/2015 - 11:16 AM )

    Excelente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *