PEP (Profilaxia Pós Exposição)

Se você teve relações sexuais sem proteção, ou se sua camisinha estourou, ou se sofreu alguma violência de cunho sexual, enfim, se você teve alguma situação de risco e você está preocupado com o risco  de se infectar com vírus do HIV. Saiba que existe a PEP!

Mas afinal o que é a PEP??

A PEP (Profilaxia Pós Exposição) é uma forma de prevenção da infecção pelo HIV usando os medicamentos que fazem parte do coquetel utilizado no tratamento da AIDS , para pessoas que possam ter entrado em contato com o vírus recentemente, através da exposição ocupacional, no caso de profissionais de saúde ou pela exposição não ocupacional (sexual),  ocorrida em casos de sexo sem camisinha ou de violência sexual. Esses medicamentos, precisam ser tomados por 28 dias, sem parar, para impedir a infecção pelo vírus, sempre com orientação médica.

Essa forma de prevenção já é usada com sucesso nos casos de violência sexual e de profissionais de saúde que se acidentam com agulhas e outros objetos cortantes contaminados.

Mas a PEP serve para todos??

Não, o profissional de saúde avaliará o risco que o paciente teve na relação sexual e informará ao médico que indicará ou não a PEP sexual, baseado em dois critérios:

1. Tipo de relação sexual – o risco da transmissão do HIV varia, dependendo do tipo de relação sexual.

2. Relação sexual com parceiro HIV positivo ou que desconhece que tem HIV – se a relação sexual foi sem camisinha ou se houve algum acidente durante o uso com parceiro fixo ou ocasional que sabe se tem HIV e/ou que é usuário de drogas, profissional do sexo, gay, ou travesti, por exemplo.

Quando a medicação for necessária, somente o médico poderá receitá-la.

Uma vez que os medicamentos forem administrados, o acompanhamento médico e tratamento deverão ser seguidos por pelo menos quatro semanas, conforme prescrição médica. Além disso, o médico pode recomendar o início do tratamento para outras doenças sexualmente transmissíveis, quando for pertinente. Contudo, é importante ressaltar que mesmo administrando os medicamentos a tempo, existe sempre a possibilidade de que ocorra a infecção pelo HIV.

Quanto tempo tenho para iniciar com a PEP depois de uma situação de risco?

No caso de um possível contato com o HIV, seja nos casos de violência sexual e de profissionais de saúde que se acidentam com agulhas e outros objetos cortantes contaminados, busque, o quanto antes, um serviço credenciado. Esse primeiro atendimento é considerado de urgência porque o uso dos medicamentos deve começar o mais cedo possível.

O ideal é que você comece a tomar a medicação em até 2 horas após a exposição ao HIV e no máximo após 72 horas. A eficácia da PEP pode diminuir à medida que as horas passam.

Quanto mais rapidamente for administrada a profilaxia, melhor será o resultado.

Dados experimentais indicam que os índices de infecção são mais baixos quando ela é iniciada nas primeiras 36 horas. Um estudo mostrou que filhos de mães infectadas apresentam menor chance de contrair o HIV quando tratados nas primeiras 48 horas depois do parto.

A indicação de utilização dos medicamentos para prevenção será avaliada por um médico.

Exposição e risco de infecção

1 – Exposição ocupacional

Os índices de transmissão por meio de picadas com agulhas infectadas são baixos: em média 0,3%. Nos contatos acidentais de líquidos corpóreos infectados com as mucosas dos olhos e da boca ou com a pele ferida do profissional, mais baixos ainda: em média 0,09%.

Alguns fatores, no entanto, aumentam o risco: Aids avançada no paciente-fonte da infecção, agulhas que foram utilizadas como cânulas de veias no paciente-fonte, ferimentos profundos e a presença de sangue visível no instrumento.

A maioria dos clínicos usa como critério para indicar a profilaxia, o aparecimento de sangue no local da picada acidental.

2 – Exposição sexual (não ocupacional)

O risco de transmissão do HIV varia com a natureza da exposição: de 1% a 30% nas relações anais receptivas, de 0,1% a 10 % nas relações anais insertivas e nas vaginais receptivas, de 0,1% a 1% nas vaginas insertivas. Embora haja descrições de infecção pelo HIV em pessoas que praticaram apenas sexo oral, o risco desse tipo de prática é bem mais baixo.

A probabilidade de transmissão varia com a presença ou ausência de doenças venéreas, ulcerações genitais (herpes, sífilis), circuncisão, displasia anal ou do colo uterino, com a virulência e com a concentração do vírus (carga viral) presente nas secreções sexuais.

 Fatores que aumentam o risco de transmissão sexual do HIV

Nas relações desprotegidas, seu risco de se infectar pelo HIV aumenta se:

• o parceiro sexual for HIV positivo e estiver com uma carga viral sanguínea detectável (quantidade de HIV circulando no sangue);
• houver qualquer tipo de ferimento ou lesão (machucado) na região genital;
• houver a presença de sangramento, como menstruação, no momento do ato sexual;
• um dos parceiros apresentar uma doença sexualmente transmissível.

Por isso, a melhor medida de prevenção é usar camisinha em todas as relações sexuais. A camisinha, além de proteger contra o vírus da Aids, também previne contra outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), hepatites virais e evita a gravidez não planejada.

Pontos Importantes

  • A camisinha (preservativo) ainda é melhor maneira de se prevenir do HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis! USE SEMPRE CAMISINHA!
  • A PEP sexual é indicada somente para situações excepcionais em que ocorrer falha, rompimento ou não uso da camisinha durante a relação sexual. É indicada, ainda, em casos de violência sexual contra mulheres ou homens.
  • A PEP sexual não é indicada para todos e nem deve ser usada a qualquer momento.
  • A PEP não substitui o uso da camisinha e não deve ser utilizada em exposições sucessivas, pois seus efeitos colaterais pelo uso repetitivo são desconhecidos em pessoas HIV negativas. Além disso, as pessoas que se expõem ao risco com frequência podem ter sido infectadas pelo HIV em alguma dessas exposições e necessitam de uma avaliação médica – clínica e laboratorial – cuidadosa.
  • Somente um médico poderá receitar a PEP.
  • Não há custo nos medicamentos da PEP, e sua venda é PROIBIDA,

Trocando em Miúdos

Se você esteve em uma situação de risco, você tem até 72 horas para ir em um posto de saúde e solicitar a PEP, Você vai ser avaliado e caberá ao médico que atender você se você deve fazer o uso da PEP ou não.

 Fonte: Grupo de Incentivo à Vida.

Para informações adicionais sobre a PEP, visite o hotsite da PEP clicando no banner abaixo.

Autor do Post Jeff

Eu sou o Jeff! Muito prazer! Sou soropositivo há 15 anos. Levou bastante tempo até eu aceitar essa minha nova condição e realidade, e depois de alguns percalços da vida eu levo uma vida boa e feliz! Criei esse blog para tentar te mostrar, que a vida é muito maior do que um mísero vírus e que não podemos fazer nossa vida girar em torno disso.

23 Comentários em “PEP (Profilaxia Pós Exposição)

    Mariana ( 06/11/2017 - 9:43 AM )

    Bom dia, após uma relação desprotegida iniciei o uso da PrEP.. isso há uma semana apenas! Porém tive icterícia. Todos me perguntam o q está havendo com meus olhos. Invento umas desculpas. Muito desconfortante :/ Teria alguma forma de reduzir os efeitos da icterícia? Em casa, graças a Deus, até o momento, ngm percebeu!

    Leonardo ( 02/10/2017 - 5:49 PM )

    Boa tarde gente, eu tenho um relacionamento de 6 meses, sempre fiz meus exames certinho inclusive há 2 meses exatos fiz e estava tudo negativo… Infelizmente meu parceiro descobriu que ele tem o HIV semana passada, fomos aos médicos e assistentes sociais, porque ele queria era se matar… O assistente social falou que eu deveria tomar o PrEP por preucação, mais eu fiz o exame novamente e constou negativo… Fui em 2 postos de saúde inclusive no que ele pegou o remédio e não quiseram me conceder o PrEP…
    isso é normal?

    Lembrando que nunca tivemos sexo anal durante esses 6 meses, era só preliminares etc… até pq eu sempre fui claro com ele só iria fazer algo depois de exames prontos, infelizmente deu esse resultado pra ele…
    E a carga viral dele tava muito alta e acredito eu como o médico disse, que o vírus já está no corpo de antes mesmo da gente começar a namorar cerca de 1 ano…

    Quero saber se corro algum risco mesmo não usando o PrEP ?
    Acredito, que como faço os exames regulares e ainda tive que fazer novos exames durante a semana, e tudo deu negativo, acredito que com 6 meses de namoro se eu tivesse contraído o vírus já tinha aparecido nesses exames que eu faço regular e também nesses novos exames que fiz durante a semana quando ele descobriu, estou certo?
    Daqui há 30 dias volto para fazer novos exames…
    Graças a Deus temos temos uma família que está apoiando muita a gente nesse momento e amigos que estão me dando força para eu poder passar pra ele, pq sei que de início os efeitos colaterais são péssimos…

    Só peço forças pra ele e pra mim, pq não vou e nem posso abandonar ele nesse momento, até pq amo muito ele!
    Muito obrigado

    Maurício Camargo ( 14/07/2017 - 3:13 PM )

    Tive uma situação de risco exatos 60 dias atrás. Fiz um exame (teste rápido) 56 dias após a situação de risco. Deu não-reagente. E o meu parceiro fez um exame e deu não-reagente. Posso encerrar o caso?

    Andre ( 13/07/2017 - 4:13 PM )

    Boa tarde, bom eu tive relações sexuais com uma mulher em que a camisinha acabou estourando. Após isso pedi a ela que fosse fazer o teste, mas ela se recusou, enrrolou, e acabou decidindo não ir. Então comecei a tomar a PEP após 36 horas da relação de risco, em que praticamente não tive efeitos colaterais, apenas os olhos amarelados. Entretanto, meu corpo começou a ficar todo amarelo, e como haviam me informado que somente os olhos fica iam amarelos, comecei a ficar preocupado. Então fiz um exame do fígado e estava muito alterado, então decidi parar de tomar a PEP com 11 dias de tratamento. Meus olhos voltaram ao normal a cor da minha pele também, mas a preocupação continua. Então a pergunta que fica é a seguinte: 11 dias de tratamento podem ter destruído o HIV caso eu o tenha contraído? Quando devo fazer o exame, após 30 dias da relação ou após 30 dias do fim do tratamento? Agradeço a ajuda de todos!

    Henry ( 07/02/2017 - 7:10 PM )

    Oi gente, novo por aqui e oq aconteceu comigo foi o seguinte, ontem saí com um cara que já conheço á 2 anos, sempre conversei cm ele abertamente sobre HIV e tals e ele sempre me amostrou os exames deles todos negativos, então ontem agente fez sexo sem camisinha e ele gozou dentro de me 2 vezes, sendo q ele fez o exame de HIV no início de novembro de 2016 e deu negativo, mas hoje quando acordei, sentir meu corpo diferente, garganta estranha e a íngua inchada, fui no posto de saúde e consegui pegar os medicamentos dá PEP, a enfermeira viu minha garganta falou q n tinha nada, apertou meu pescoço pra ver a íngua e falou q tinhas umas pequenas normais, comecei o uso dá PEP hoje 21 horas depois dá exposição, imaginem que até agora to sentindo uma coisa na minha garganta q n sei explicar o que é, eu só sei q n é dor, aí tô um pouco agoniado, será que esse negócio na garganta foi por causa de ontem ou será só coisa dá minha cabeça? Sendo q o oral foi tipo super rápido, questão de 4/5 segundos, daqui à q mês fazer o exame, vai dá tudo certo cm fé em Deus e mais alguém!

    Luan ( 30/01/2017 - 10:12 PM )

    Bem estou no 07 dia de PEP e estou com olhos e face amarelados, por inprundência acabei tendo relação com meu namorado sem preservativo sabendo q ele é soropositivo, mas pelo fato de estar com a carga viral indetectavél fiquei menos preocupado!
    Agora eh só esperar concluir os vinte e oito dias e esperar para que dê tudo certo! Nunca mais irei me expor desta maneira!

    Bernardo ( 16/01/2017 - 11:35 PM )

    Acho muito bom esclarecer minhas dúvidas sobres dsts, depois que fui infectado pela sífilis, fiquei com traumas e com bastante medo de pegar outra doença, principalmente o hiv, o ultimo exeme q fiz foi em dezembro de 2016, e deu negativo, graças a Deus, e depois q descbri a pep fiquei ciente de q se houver uma exposição acidental, essa pep é muito boa pra impedir q pegue o vírus. Agr fico com uma Dúvida…depois q terminar a pep, se vc n pegar o virus, ele vai dar resultado negativo?

      Viver com HIV ( 17/01/2017 - 1:42 AM )

      Olá Bernardo,

      Se tu não tiver outra situação de risco, ele vai dar negativo sim.

      Um abraço

    Rafael ( 14/11/2016 - 11:18 AM )

    Ai pessoal, iniciei a PEP a 8 dias. Estou bem tranquilo, acredito que não vou ter problemas. O meu único problema atual são os olhos amarelados, a tal da ictericia. Todos estão perguntando o motivo de eu estar assim, e eu não posso responder a verdade (inclusive escondi o fato dos meus familiares, que estão muito preocupados).

      Mark ( 14/11/2016 - 3:23 PM )

      Irmão, tive esse problema logo no segundo dia.. mas não notei agravamento da situação ao decorrer da profilaxia. Entretanto, é normal que seus olhos e sua pele facial fique com um aspecto bem amarelado.. Enfim, recomendo que vc ingira bastante agua e tente não se preocupar. Fique bem;

      arrependido ( 15/11/2016 - 2:40 PM )

      Mesma situação, comecei a PEP com 17 horas. Estou no 3 dia, ja sinto efeitos colaterais…, sai com uma garota de programa e logo no começo, estourou a camisinha. A minha maior preocupação foi por estar com leve problema de candidíase, ou seja, pela sensível na região e até uma mínima lesão. Enfim, estou arrependido e apavorado. Espero que tenha uma segunda chance. Tb estou fazendo tudo escondido dos meus familiares.

    Du ( 14/10/2016 - 5:22 PM )

    Galera,iniciei o tratamento do pep com 50 horas depois da exposição,sai com uma Gp,relação toda com preservativo,mas na hora da penetração anal a camisinha rompeu e paramos na hora,na hora bateu o desespero ,pergunto o PeP é eficaz com este tempo, a infectologista me diz que o risco é de 0,06% de contaminaçao,mas alguem sabe se procede esse dado.Obrigado

      Mark ( 25/10/2016 - 7:41 PM )

      Du, não sei se você ainda retorna aqui em busca de uma resposta, mas enfim.. também fiz uso da PEP após a camisinha romper na primeira penetração anal em um travesti. Pois é, imagina só como eu fiquei.. Na mesma hora já reparei e retirei o penis, mas minha glande obviamente foi exposta à mucosa anal (resquicios do gel analgesico passado momentos antes), fiquei desprotegido por cerca de 1-3 segundos. Desde então tive crises e crises de medo e preocupação com medo da PEP falhar e também porque continuei a relação utilizando outros preservativos cedidos pela parceira, e por não ter checado se estavam furados após a relação fiquei imaginando que ela poderia fura-los em casa para contaminar os clientes. Descobri dias depois que essa travesti é soropositivo, mas não sei se ela se trata. Iniciei a PEP 31 horas após o contato, Hoje, dia 25/10, completo 31 dias após a exposição e 30 dias após a PEP, realizei os exames pedidos pelo infectologista do ambulatório que busquei acompanhamento e pego os resultados na quinta. Espero que tudo dê certo…

      Mas, e como você está, imagino que já esteja terminando a PEP, certo? Dê noticias..

        Du ( 31/10/2016 - 11:17 AM )

        Bom dia como vai?!,então ainda não terminei faltam 6 dias para terminar a terapia ,dias dificeis estes que estou passando,anciedade.
        E pra você como foi?

        Imagino que voce ja tenha o seu resultado ,e ai?

          Mark ( 01/11/2016 - 12:08 PM )

          Irmão, terminei o meu tratamento e fiz os exames pedidos pelo médico com exatos 30 dias, todos negativos. O médico disse que se tivesse ocorrido falha ou qualquer coisa já teria acusado nesses exames, disse também me explicando com paciência que poderia seguir a minha vida e passar um final de ano despreocupado. Apenas me alertou que em razão de casos raros já constatados era para voltar em janeiro e realizar novamente os exames. Sinceramente? Tirei isso da minha cabeça. Estava adoecendo e parei de viver. Acredito nessa janela e estou com a mente calma, apenas retornarei em janeiro em respeito ao compromisso firmado com o médico que me atendeu muito bem e demais profissionais, mas já passei um pano nessa história… espero que você também esteja bem, dê notícias.

    Guto Sp ( 18/07/2016 - 5:42 PM )

    Boa tarde,
    Iniciei o tratamento com a PEP mais ou menos 50 horas depois da situação de risco e no quarto dia de tratamento após conversar com a minha parceira interrompi o tratamento e depois me arrependi muito por isso. Gostaria de saber se estes 4 dias que tomei a medicação irão influenciar na janela imunológica pois estou contando os dias para fazer o teste. Mesmo conversando com ela estou muito abalado e nervoso, procurando sintomas em tudo que é lugar! Hoje fazem 18 dias que parei com os remédios e 24 dias do contato.
    Obrigado!

      Viver com HIV ( 19/07/2016 - 10:28 PM )

      Amigo Guto,

      Acredito que não vai influenciar, mas não tenho certeza disso, posso estar errado.

    Fernando Silva ( 27/06/2016 - 6:25 PM )

    Olá!

    Penetrei analmente uma soropositiva…
    A penetração foi suave(sem atritos e ela tinha colocado lubrificante ), foi de forma lenta, e não durou mais que 3min, pois “brochei” em seguida e parei, por medo.
    Descobri dias depois que ela era soropositiva e que não sabia que era(ela fez exames, pois pedi) e ela não se tratava.

    Fiz a pep corretamente, iniciei ela 14hrs depois do risco.
    Tomei todos os comprimidos, nos horários, não bebi, não misturei com outros remédios, enfim, segui a risca a profilaxia.

    Um dia depois de tomar o ultimo comprimido da pep, fui fazer dois exames:
    PCR hiv qualitativo = negativo (laboratorio hermes pardini)
    CMIA(Quimioluminescência, 4a geração) = não reagente (laboratorio x)

    Aguardei mais 30 dias após o término da pep, fiz mais um exame:
    CMIA(Quimioluminescência, 4a geração) = não reagente (laboratorio x)

    Agora, com 45 dias após o término da pep, fiz mais dois exames:

    CMIA(Quimioluminescência, 4a geração) = não reagente (laboratorio y)
    EQL(Eletroquimioluminescência, 4a geração) = não reagente (laboratorio z)

    Usei x,y, e z para esclarecer que foram usados 3 laboratórios diferentes.

    Posso ficar tranquilo e encerrar o caso?
    Sei que foram muitos exames, mas o peso da culpa por não ter me cuidado associado ao medo de ter me infectado foi muito grande, e ainda me acompanha.

    Agradeço à quem responder com boa intenção.

    Que a Luz divina esteja com todos!

      Umombroamigo ( 28/06/2016 - 4:00 PM )

      Olá Fernando!

      Apesar do susto espero que esteja bem.

      O protocolo do MS e o que especialistas dizem, como Esper Kallas, é que para quem fez uso de PEP os testes são confiáveis após 30 dias da medicação, que seria 60 do contato, você tem laudos de 75 dias, laboratórios de ponta como HP.

      É muito confiável e os testes de 4ª garantem ainda um prazo menor.

      Não há porque contestar ou imaginar diferente do que esta estabelecido.

      Abr e se cuida!

    Luciano ribeiro ( 28/09/2015 - 4:38 PM )

    descobri a três meses que sou soro positivo vou morar com uma parceira que e negativo existem outras formas de combater que ela não se contamine.. ela sabe que sou soro positivo

      vivercomHIV ( 28/09/2015 - 8:07 PM )

      Olá Luciano,

      A maneira mais eficaz para prevenir que ela se contamine, ainda é a camisinha. Você pode ter relações com sua parceira normalmente, desde que seja com proteção (camisinha). Sexo seguro é possível Sim! Use sempre a camisinha e seja feliz! 🙂

      Abraços

      Jeff

    vileite ( 28/09/2015 - 11:04 AM )

    Bem esclarecedor !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *