Tratamento para HIV pode ser substituído por injeção bimestral

Pesquisadores avaliam a possibilidade de aplicar doses mensais ou bimestrais de remédio para manter o HIV sob rédea curta

A aids não tem cura, mas tem controle: o coquetel antirretroviral, um conjunto de três ou quatro comprimidos que o portador do vírus HIV precisa tomar diariamente, permite que ele tenha uma vida longa e com qualidade de vida. Só que, de fato, engolir remédios todo dia pode ser um desafio — e, apesar de avanços importantes, o esquema terapêutico contra essa doença funciona assim há décadas.

Mas existe uma perspectiva de que isso mude em breve, com a chegada de opções que funcionam por um ou até dois meses. Durante o último Congresso Brasileiro de Infectologia, que aconteceu no Rio de Janeiro, especialistas brasileiros discutiram o estudo Latte-2, realizado por instituições dos Estados Unidos, Espanha, Bélgica, Alemanha, França, Canadá e Reino Unido.

O experimento, que tem patrocínio das farmacêuticas Janssen e GSK, avalia a eficácia das drogas cabotegravir e abacavir-lamivudina aplicadas por meio de uma injeção intramuscular mensal ou bimestral. O teste envolveu 309 voluntários que tomaram os fármacos diariamente por três semanas antes de partir para as picadas na pele. Após dois anos de experiência, 87% dos pacientes que receberam a injeção mensal ficaram com o vírus suprimido, ante 94% daqueles que tomaram a dose bimestral.

Os resultados

Entre os indivíduos que permaneceram no esquema diário, 84% continuaram com o HIV controlado. A maioria dos pacientes não sofreu efeitos colaterais dignos de nota: alguns experimentaram dor ou reações na pele no local em que a agulha foi inserida.

Os autores concluíram que esse tratamento intervalado é seguro e efetivo. Porém, antes de virar realidade, precisa passar por uma nova fase de pesquisas com um número bem maior de voluntários para se certificar que os achados se repitam. Enquanto isso, cabe reforçar que o coquetel atual já representa uma revolução em prol do bem-estar dos soropositivos.

 


Fonte: Abril Saúde

Autor do Post Jeff

Eu sou o Jeff! Muito prazer! Sou soropositivo há 15 anos. Levou bastante tempo até eu aceitar essa minha nova condição e realidade, e depois de alguns percalços da vida eu levo uma vida boa e feliz! Criei esse blog para tentar te mostrar, que a vida é muito maior do que um mísero vírus e que não podemos fazer nossa vida girar em torno disso.

5 Comentários em “Tratamento para HIV pode ser substituído por injeção bimestral

    Alves ( 24/10/2017 - 4:31 PM )

    Moro em um município q fica 80 kilometro para retirar medicação em outro município acho isso tenso e não tem um infecto onde moro para me dar receita não sei como fazer e pior ainda meu gamagt só da alterado pela medicação forte 3/1 e não consigo recolocação no trabalho de carreteiro até pq fazem este exame la e ainda terei que buscar meu remédio mensal por ser assim carreta fica fora de casa por mais de um mês to desempregado e bem desiludido.

    Angolano ( 09/10/2017 - 5:44 AM )

    Descobri no mês passado que sou seropositivo e comecei a medicação usando TEEVIR e não sei se é um comprimido mderno mas sei que é 3 em 1, gostaria que me ajudasses nisso Jeff e por outra quero saber como me alimentar?

      Jeff ( 15/10/2017 - 2:53 AM )

      Oi Angolano,

      O TEEVIR é muito bom e bem moderno, e seria interessante tu procurar um nutricionista para te indicar na alimentação.

      Um abraço

    Rick*+ ( 03/10/2017 - 1:31 AM )

    Galera POSITIVA como eu,

    Muitas vezes determinadas situações da vida nos levam a desanimar e a se entregar, mas a paciência nos ensina a vencer com sabedoria cada etapa da vida.
    Devemos manter nossa serenidade para o equilíbrio do corpo e da mente, assim conseguiremos uma vida mais saudável e feliz.

    Fica aqui meu pensamento de hoje para todos meus amigos virtuais.
    Com carinho,
    Rick*+

    Horus ( 29/09/2017 - 1:07 AM )

    Sim, seria bem confortante n ter essa preocupação diária com a medicação! Mas essas injeções seriam aplicadas no mesmo lugar onde fazemos a retirada dos remédios?! Ficar lá em uma fila?! Se for assim será bem complicado é muito exposto! Infelizmente pior que o vírus ainda é o preconceito! Sabemos q hoje muitas pessoas contratam outras pra irem buscar suas medicações! Eu mesmo não sei se teria coragem de ficar em uma fila aguardando pra ser atendido com todos aqueles olhares 😞😞😞

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *